RESOLUÇÃO CNE/CES Nº 1, DE 06 DE ABRIL DE 2018

postado em: Sem categoria | 0

Estabelece diretrizes e normas para a oferta dos cursos de pós-graduação lato sensu denominados cursos de especialização, no âmbito do Sistema Federal de Educação Superior, conforme prevê o Art. 39, § 3º, da Lei nº9.394/1996, e dá outras providências.

RESOLUÇÃO Nº 1, DE 6 DE ABRIL DE 2018
Estabelece diretrizes e normas para a oferta dos cursos de pós-graduação lato sensu denominados cursos de especialização, no âmbito do Sistema Federal de Educação Superior, conforme prevê o Art. 39, § 3º, da Lei nº 9.394/1996, e dá outras providências.

O Presidente da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação (CNE), no uso de suas atribuições legais, com fundamento no art. 9º, § 2º, alínea “h”, da Lei nº 4.024, de 20 de dezembro de 1961, com a redação dada pela Lei nº 9.131, de 24 de novembro de 1995, nos artigos 39, 40, 44 e 66 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, no Decreto nº 9.057, de 25 de maio de 2017, e no Decreto nº 9.235, de 15 de dezembro de 2017, e com fundamento no Parecer CNE/CES nº 146/2018, homologado por Despacho do Senhor Ministro de Estado da Educação, publicado no Diário Oficial da União de 6 de abril de 2018, resolve:
Art. 1º Cursos de pós-graduação lato sensu denominados cursos de especialização são programas de nível superior, de educação continuada, com os objetivos de complementar a formação acadêmica, atualizar, incorporar competências técnicas e desenvolver novos perfis profissionais, com vistas ao aprimoramento da atuação no mundo do trabalho e ao atendimento de demandas por profissionais tecnicamente mais qualificados para o setor público, as empresas e as organizações do terceiro setor, tendo em vista o desenvolvimento do país.
§ 1º Os cursos de especialização são abertos a candidatos diplomados em cursos de graduação, que atendam às exigências das instituições ofertantes.
§ 2º Os cursos de especialização poderão ser oferecidos presencialmente ou a distância, observadas a legislação, as normas e as demais condições aplicáveis à oferta, à avaliação e à regulação de cada modalidade, bem como o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI).
§ 3º Poderão ser incluídos na categoria de curso de pós-graduação lato sensu aqueles cuja oferta se ajuste aos termos desta Resolução, mediante declaração de equivalência pela Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação.
Art. 2º Os cursos de especialização poderão ser oferecidos por:
I – Instituições de Educação Superior (IES) devidamente credenciadas para a oferta de curso(s) de graduação nas modalidades presencial ou a distância reconhecido(s);
II – Instituição de qualquer natureza que ofereça curso de pós-graduação stricto sensu, avaliado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), autorizado pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), na grande área de conhecimento do curso stricto sensu recomendado e reconhecido, durante o período de validade dos respectivos atos autorizativos;
III – Escola de Governo (EG) criada e mantida por instituição pública, na forma do art. 39, § 2º da Constituição Federal de 1988, do art. 4º do Decreto nº 5.707, de 23 de fevereiro de 2006, credenciada pelo CNE, por meio de instrução processual do MEC e avaliação do Instituto Nacional de Pesquisa Anísio Teixeira (Inep), observado o disposto na Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, no art. 30 do Decreto nº 9.235, de 15 de dezembro de 2017, e no Decreto nº 9.057, de 25 de maio de 2017, no que se refere à oferta de educação a distância, com atuação voltada precipuamente para a formação continuada de servidores públicos;
IV – Instituições que desenvolvam pesquisa científica ou tecnológica, de reconhecida qualidade, mediante credenciamento exclusivo pelo CNE por meio de instrução processual do MEC para oferta de cursos de especialização na(s) grande(s) área(s) de conhecimento das pesquisas que desenvolve;
V – Instituições relacionadas ao mundo do trabalho de reconhecida qualidade, mediante credenciamento exclusivo concedido pelo CNE por meio de instrução processual do MEC para oferta de cursos de especialização na(s) área(s) de sua atuação profissional e nos termos desta Resolução.
§ 1º Os cursos de especialização somente poderão ser oferecidos na modalidade a distância por instituições credenciadas para esse fim, conforme o disposto no § 1º do art. 80 da Lei nº 9.394, de 1996, e o Decreto nº 9.057, de 2017.
§ 2º Fica permitido convênio ou termo de parceria congênere entre instituições credenciadas para a oferta conjunta de curso(s) de especialização no âmbito do sistema federal e dos demais sistemas de ensino.
Art. 3º O credenciamento de que tratam os incisos III, IV e V do artigo anterior para a oferta de curso(s) de especialização lato sensu no âmbito do Sistema Federal de Educação Superior será concedido pelo prazo máximo de 5 (cinco) anos, mediante deliberação do CNE homologada pelo Ministro de Estado da Educação.
§ 1º A instituição credenciada poderá solicitar recredenciamento antes do vencimento do prazo referido no caput.
§ 2º Os prazos de validade dos atos de recredenciamento serão fixados nas deliberações do CNE, observado o prazo máximo de 5 (cinco) anos.
§ 3º O pedido de recredenciamento efetuado no prazo de validade do ato de credenciamento autoriza a continuidade das atividades da Instituição até deliberação final do CNE sobre o pedido.
§ 4º Vencido o prazo do ato de credenciamento sem que a Instituição tenha solicitado o recredenciamento, a oferta de novos cursos e a abertura de novas turmas devem ser imediatamente suspensos.
§ 5º A avaliação e a deliberação sobre propostas de credenciamento e recredenciamento exclusivo de Instituição para a oferta de cursos de especialização lato sensu serão realizadas pelo CNE.
Art. 4º O credenciamento de que tratam os incisos III, IV e V do artigo 2º para a oferta de cursos de especialização lato sensu na modalidade a distância observará o disposto na legislação e normas vigentes, especialmente o Decreto nº
9.057, de 2017, bem como o prazo previsto no caput do artigo 3º desta Resolução.

Art. 5º A oferta institucional de cursos de especialização fica sujeita, no seu conjunto, à regulação, à avaliação e à supervisão dos órgãos competentes.
Art. 6º Os cursos de especialização serão registrados no Censo da Educação Superior e no Cadastro de Instituições e Cursos do Sistema e-MEC, nos termos da Resolução CNE/CES nº 2, de 2014, que instituiu o cadastro nacional de oferta de cursos de pós-graduação lato sensu (especialização) das instituições credenciadas no Sistema Federal de Ensino.
Art. 7º Para cada curso de especialização será previsto Projeto Pedagógico de Curso (PPC), constituído, dentre outros, pelos seguintes componentes:
I – matriz curricular, com a carga mínima de 360 (trezentos e sessenta) horas, contendo disciplinas ou atividades de aprendizagem com efetiva interação no processo educacional, com o respectivo plano de curso, que contenha objetivos, programa, metodologias de ensino-aprendizagem, previsão de trabalhos discentes, avaliação e bibliografia;
II – composição do corpo docente, devidamente qualificado;
III – processos de avaliação da aprendizagem dos estudantes;
Parágrafo único. Quando o curso de especialização tiver como objetivo a formação de professores, deverá ser observado o disposto na legislação específica.
Art. 8º Os certificados de conclusão de cursos de especialização devem ser acompanhados dos respectivos históricos escolares, nos quais devem constar, obrigatória e explicitamente:
I – ato legal de credenciamento da instituição, nos termos do artigo 2º desta Resolução;
II – identificação do curso, período de realização, duração total, especificação da carga horária de cada atividade acadêmica;
III – elenco do corpo docente que efetivamente ministrou o curso, com sua respectiva titulação.
§ 1º Os certificados de conclusão de curso de especialização devem ser obrigatoriamente registrados pelas instituições devidamente credenciadas e que efetivamente ministraram o curso.
§ 2º Os certificados dos cursos ofertados por meio de convênio ou parceria entre instituições credenciadas serão registrados por ambas, com referência ao instrumento por elas celebrado.
§ 3º Os certificados previstos neste artigo, observados os dispositivos desta Resolução, terão validade nacional.
§ 4º Os certificados obtidos em cursos de especialização não equivalem a certificados de especialidade.
Art. 9º O corpo docente do curso de especialização será constituído por, no mínimo, 30% (trinta por cento) de portadores de título de pós-graduação stricto sensu, cujos títulos tenham sido obtidos em programas de pós-graduação stricto sensu devidamente reconhecidos pelo poder público, ou revalidados, nos termos da legislação pertinente.
Art. 10. As instituições que mantêm cursos regulares em programas de stricto sensu poderão converter em certificado de especialização os créditos de disciplinas cursadas aos estudantes que não concluírem dissertação de mestrado ou tese de doutorado, desde que tal previsão conste do regulamento dos respectivos programas institucionais e que sejam observadas as exigências desta Resolução para a certificação.
Art. 11. Os estudos realizados no sistema de ensino militar, conforme a Portaria Interministerial nº 1, de 26 de agosto de 2015, ministrados exclusivamente para integrantes da respectiva corporação, serão considerados equivalentes a curso de especialização desde que atendam, no que couber, aos requisitos previstos nos dispositivos desta Resolução.
Art. 12. Os cursos de especialização oferecidos com fundamento na Resolução CNE/CES nº 1, de 2007, ou na Resolução CNE/CES nº 7, de 2011, iniciados ou cujos editais já tenham sido publicados antes da vigência desta Resolução, poderão funcionar regularmente até a conclusão das respectivas turmas, nos termos de seu PPC.
Art.13. Os processos de credenciamento de que tratam os incisos III, IV e V do artigo 2º desta Resolução para a oferta de cursos de especialização lato sensu em tramitação nas Secretarias do Ministério da Educação e no Conselho Nacional de Educação, ainda não submetidos à avaliação in loco, observarão o disposto nesta Resolução.
Art. 14. Os atos autorizativos de credenciamento de que tratam os incisos III, IV e V do artigo 2º desta Resolução para a oferta de cursos de especialização lato sensu com prazo determinado, ainda em vigor, permanecem válidos até o vencimento, podendo ser renovados, nos termos desta Resolução.
Art. 15. Excluem-se desta Resolução:
I – os programas de residência médica ou congêneres, em qualquer área profissional da saúde;
II – os cursos de pós-graduação denominados cursos de aperfeiçoamento, extensão e outros.
Art. 16. Os casos omissos serão examinados pela Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação.
Art. 17. Esta Resolução entrará em vigor na data de sua publicação, ficando revogadas a Resolução CNE/CES nº 1, de 8 de junho de 2007, e a Resolução CNE/CES nº 7, de 8 de setembro de 2011.

LUIZ ROBERTO LIZA CURI
(DOU nº 67, 09.04.2018, Seção 1, p.43)

Pós-Graduação em Gestão e Administração em Saúde

postado em: Pós-Graduação | 0

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU – ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO EM SAÚDE. (380h + 60h TCC

Justificativa do Curso

O Curso de Pós-Graduação Gestão e Administração em Saúde visa à especialização do profissional, com a finalidade de desenvolver habilidades e conhecimentos na gestão e na administração de organizações da área tais como hospitais, clínicas, unidades de atenção à saúde, secretarias e ministérios do setor, empresas operadoras de planos de seguros ou convênios e prestadoras de serviços.

Panorama de mercado complexa que passam especialmente pela necessidade de qualificação dos processos de gestão. Estes desafios são em parte, relacionados às inovações tecnológicas, que crescem em ritmo exponencial e, em parte, à dinamicidade das políticas de saúde, que reorientaram as práticas e, com impacto nos setores público e privado, nos modelos assistenciais e de gestão, servindo de base para as reflexões que levaram ao desenvolvimento teórico-conceitual próprio do campo, configurando a natureza específica das práticas de gestão do setor. A carência de profissionais habilitados para exercer a gestão ainda é um dos grandes obstáculos para a descentralização do sistema, a resolutividade dos serviços e a eficácia das ações de saúde. Nesse sentido, a profissionalização tem se colocado como necessidade política para o setor.

Objetivo do Curso

Especializar profissionais para atuarem na gestão de serviços de saúde públicos e privados, contribuindo para a melhoria e profissionalização da área. O curso também possibilita que o gestor desenvolva uma visão estratégica dos serviços, a partir de estudos sistemáticos e aprofundados da realidade administrativa do setor e de suas unidades produtivas.

Público Alvo: Portadores de diploma de graduação que tenham interesse em atuar ou se especializar na área de gestão e administração em saúde.

Modalidade: Presencial

Pós-Graduação AEE – Atendimento Educacional Especializado

postado em: Pós-Graduação | 0

Pós-Graduação AEE – Atendimento Educacional Especializado

  • Realização: UNIREDENTOR e L7 CURSOS
  • Início em Dezembro de 2017
  • Encontros de orientação de carreira com profissional em coaching
  • Convênio de estágio com clínicas e escolas
  • PRESENCIAL com professores mestres e doutores
  • Matrículas e Informações no: (67) 99989-6130 | (67) 99967-7070

PÓS-GRADUACAO-AEE

 

 

Pós-Graduação Urgência e Emergência em Atendimentos Clínicos e Traumáticos – Do pré ao intra-hospitalar

postado em: Pós-Graduação | 0

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU – ESPECIALIZAÇÃO EM URGÊNCIA E EMERGÊNCIA EM ATENDIMENTOS CLÍNICOS E TRAUMÁTICOS – DO PRÉ AO INTRA-HOSPITALAR. (390h + 40h prática + 60h TCC)

Justificativa do Curso

O Curso de Pós Graduação em Urgência e Emergência em Atendimentos Clínicos e Traumáticos – do Pré ao IntraHospitalar visa à especialização do profissional, com a finalidade de desenvolver habilidades e conhecimentos técnicos ligados à prática de um atendimento homogeneizado, protocolado, de cunho científico. A grande necessidade de especialização dos enfermeiros em Urgência e Emergência visa à prestação de assistência a indivíduos expostos a acidentes e agravos à saúde que necessitem de cuidados em caráter de atendimento intensivo de urgência e emergência na rede básica de atenção e na área hospitalar. Ao final deste curso os enfermeiros se sentirão habilitados e capacitados a atuarem com segurança em situações de alto risco, nos ambientes pré e intra-hospitalar.

Objetivo do Curso

Capacitar os profissionais com conhecimentos necessários para o atendimento à vítima em situações de urgências/emergências; Garantir o aperfeiçoamento dos profissionais que atuam ou desejam atuar em pronto-socorro e ou serviço de atendimento pré-hospitalar, promovendo a melhoria da assistência ao paciente com risco eminente de vida; Estabelecer padrões para a qualidade e desenvolvimento de competência para o atendimento de urgência/emergência do indivíduo nas diferentes etapas da vida, preparando o profissional para uma rápida tomada de decisão em diversas situações de risco de vida, considerando os princípios científicos, éticos, humanísticos e culturais.

Público Alvo: Graduados em Enfermagem

Modalidade: Presencial

Pós-Graduação em Enfermagem em Cardiologia e Hermodinâmica

postado em: Pós-Graduação | 0

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU – ESPECIALIZAÇÃO EM ENFERMAGEM EM CARDIOLOGIA E HEMODINÂMICA (385h + 45h prática + 60h TCC)

Justificativa do Curso

O curso de pós-graduação lato sensu em Enfermagem Cardiológica e Hemodinâmica volta-se à formação do enfermeiro, nos âmbitos da assistência, gestão, ensino e pesquisa visando promover o aperfeiçoamento profissional contínuo dos enfermeiros que atuam ou desejam atuar nas Unidades de Cardiologia, promovendo a melhoria da assistência de enfermagem prestada ao paciente cardiopata. Oferecendo também conhecimentos técnico-científicos e gerenciais que permitam consolidar o desenvolvimento de competências e habilidades necessárias à qualificação de enfermeiros no cuidado do paciente cardiopata, por meio de estudos amparados pela pesquisa.

O especialista em enfermagem cardiovascular é o profissional mais indicado para proporcionar ao paciente cardiopata uma assistência de enfermagem direcionada, humanizada e holística, pelo seu domínio técnico-científico em anatomia cardiovascular e emergências cardiológicas.

Inúmeros são os instrumentos de trabalho do enfermeiro cardiologista, dos quais destacam-se: planejamento, coordenação, supervisão, avaliação, gerenciamento de conflitos, negociação, liderança, entre outros. Esses instrumentos evidenciam que o enfermeiro deve possuir sólido corpo de conhecimentos teóricos e práticos para exercer sua prática junto ao paciente cardiopata.

Objetivo do Curso

O Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Enfermagem em Cardiologia e Hemodinâmica tem como objetivos:

Desenvolver um curso voltado à formação de profissionais com competência técnico-científico e ético-político-social-educativa, na apropriação e recriação do conhecimento;

Praticar um currículo, como instrumento básico de organização, que incorpore os valores e os princípios que norteiam a concepção Institucional de educação;

Possibilitar ao estudante o desenvolvimento da sua capacidade de aprender crítico/reflexivamente, a ampla gama de questões sociais, políticas, econômicas e científicas, que envolvem a atuação do profissional de Enfermagem;

Fornecer uma sólida base técnico-científica que implique no contato direto com os processos envolvidos na produção científica;

Assegurar uma formação científica que permeie todo o currículo, propiciando a iniciação científica na realização de investigações voltadas ao desenvolvimento e consolidação do conhecimento em Enfermagem;

Favorecer a discussão técnico-científica e ética que se reporte à formação de posturas e atitudes e que se faça presente durante todo o desenvolvimento do curso;

Levar em consideração as transformações pelas quais passou a prática da Enfermagem no país e repensar a sua função social, reconfigurando-a frente às novas demandas de saúde.

Público Alvo: Graduados em Enfermagem

Modalidade: Presencial

Pós-Graduação – Treinamento Personalizado para Grupos Especiais

postado em: Pós-Graduação | 0

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU – ESPECIALIZAÇÃO EM TREINAMENTO PERSONALIZADO PARA GRUPOS ESPECIAIS (360h + 60h TCC)

Justificativa do Curso

Com o aumento natural da população, e consequentemente aumento também do grupo de pessoas com doenças respiratórias, cardíacas, portadores de características estruturais e fisiológicas limitantes ou em fases da vida que demandam cuidados e atenção especial, dentro dessa ótica, estamos oferecendo um curso que pretende qualificar Profissionais de Educação Física a prestarem um melhor atendimento à esse grupo de pessoas , tendo como consequência a otimização da qualidade de vida. Considerando o mercado de trabalho atual da Educação Física, centrado no não formal, mais especialmente nas atividades em academia, bem como a ênfase pela qualidade e legitimidade surgida pós regulamentação da profissão de Educação Física e instalação do Conselho Federal de Educação Física, acredita-se que a especialização em Treinamento Especializado para Grupos Especiais, seja de grande importância neste momento.

Objetivo do Curso

O curso de Pós-Graduação em Treinamento Personalizado para Grupos Especiais tem como objetivo capacitar profissionais de Educação Física na execução de estratégias de prescrição, avaliação e aplicação do exercício preventivo, investigativo e interventivo, possibilitando associar o treinamento personalizado a grupos especiais com a fisiologia do exercício, para a melhoria do desempenho físico e para a reabilitação de pacientes em todos os ciclos de vida. Proporcionar a ampliação de conceitos e conhecimentos científicos atuais sobre Treinamento Especializado para Grupos Especiais e aplicação destas nas diferentes áreas de atuação da educação física.

Público Alvo: Graduados em Educação Física

Modalidade: Presencial

 

Pós-Graduação de Enfermagem em Urgência e Emergência

postado em: Pós-Graduação | 0

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU – ESPECIALIZAÇÃO EM ENFERMAGEM EM URGÊNCIA E EMERGÊNCIA (360h + 60h estágio + 60h TCC).

Justificativa do Curso

O Curso de Pós Graduação em Urgência e Emergência visa à especialização do profissional, com a finalidade de desenvolver habilidades e conhecimentos técnicos ligados à prática de um atendimento homogeneizado, protocolado, de cunho científico. A grande necessidade de especialização dos enfermeiros em Urgência e Emergência visa à prestação de assistência a indivíduos expostos a acidentes e agravos à saúde que necessitem de cuidados em caráter de atendimento intensivo de urgência e emergência na rede básica de atenção e na área hospitalar. Ao final deste curso os enfermeiros se sentirão habilitados e capacitados a atuarem com segurança em situações de alto risco, nos ambientes pré e intra-hospitalar.

Objetivo do Curso

Capacitar os profissionais com conhecimentos necessários para o atendimento à vítima em situações de urgências/emergências; Garantir o aperfeiçoamento dos profissionais que atuam ou desejam atuar em pronto-socorro e ou serviço de atendimento pré-hospitalar, promovendo a melhoria da assistência ao paciente com risco eminente de vida; Estabelecer padrões para a qualidade e desenvolvimento de competência para o atendimento de urgência/emergência do indivíduo nas diferentes etapas da vida, preparando o profissional para uma rápida tomada de decisão em diversas situações de risco de vida, considerando os princípios científicos, éticos, humanísticos e culturais

Público Alvo: Graduados em Enfermagem

Modalidade: Presencial

Curso de Cálculos e Administração de Medicamentos

postado em: Curso Wordpress | 9

Na nossa seção de tutoriais da Hostnet já vimos diversas funções para gerenciamento de conteúdo de sites no WordPress, porém, uma dúvida frequente de nossos leitores é em relação ao controle de usuários cadastrados no site. Por isso, começamos uma série de vídeos que mostra dicas para o gerenciamento destes usuários.

Para começar, vamos conhecer o conceito de ?Papéis e Capacidades?. Este conceito existe a partir da versão 2.0 do WordPress e que foi aprimorada agora nas novas versões a partir da 3.0.

Para compreender este conceito, devemos acessar o painel administrativo do WordPress. O painel administrativo do WordPress é o endereço do seu blog mais ?/wp-admin?. Dentro do painel administrativo, encontre a seção ?Usuários? na lateral esquerda da página.

Ao localizar esta seção, clique sobre o item de menu chamado ?Usuários?. Dependendo do seu site, uma quantidade de pessoas estará cadastrada e, por padrão, também existirá diversas colunas e uma em específico chamada ?Função?. Esta coluna é onde é exibido o papel de cada usuário dentro do seu WordPress.

O primeiro usuário que está sendo listado é o usuário que criou o site. Até a versão 3.0 do WordPress o nome deste usuário era inalterável, possuía sempre o nome de ?admin?, então, a partir da versão 3.0 do WordPress já é possível determinar o nome deste usuário. Este usuário é conhecido como ?Super Administrador? no qual tem todas as funções totalmente liberadas dentro do sistema do WordPress.

Entenda que as funções de um ?Super Administrador? são diferentes de um ?Administrador?, como veremos a seguir.

Vamos criar um novo usuário dentro do WordPress para realizar algumas experiências. Para criar um novo usuário, basta clicar sobre o item de menu chamado ?Adicionar Novo? localizado na seção ?Usuários? na lateral esquerda do painel administrativo do WordPress.

Na nova página você irá se deparar com um formulário bem simples para realizar o cadastro de um novo usuário. O primeiro campo é o ?Nome de Usuário?, não é permitido a utilização de espaços neste campo e também não recomendamos que exista acentuação. O próximo campo é o ?Email?, onde você deve digitar um e-mail válido para realizar o cadastro.

Os seguintes campos são ?Nome? e ?Sobrenome?, digite seu nome e seu sobrenome, agora podendo fazer uso das acentuações. O próximo campo é o ?Site?, caso possua algum site na Internet, digite-o neste campo. E, por fim, utilizaremos o campo ?Senha? para digitar a senha que o usuário irá utilizar posteriormente para acessar o painel administrativo do WordPress.

Abaixo dos campos onde digitamos a senha há uma caixa que exibe a força da senha digitada. Recomendo que utilize o nível ?Médio? ou superior quando preencher o campo com a sua senha. E lembre-se de que você precisa digitar a senha duas vezes para realizar o cadastro do usuário.

Em seguida, escolheremos a função deste usuário que estamos criando. Como disse anteriormente, o ?Super Administrador? é o usuário que criou o blog e um ?Administrador? é um usuário com muita importância mas ele não possui todas as funções que um ?Super Administrador?. Algumas das funções que um ?Super Administrador? tem e o ?Administrador? não tem, são: Instalar e atualizar temas; Instalar e atualizar plugins; Atualizar o WordPress; e Cadastrar novos usuários.

A função ?Editor? está um nível abaixo do ?Administrador? e ele pode publicar e gerenciar mensagens, páginas e também pode gerenciar as mensagens de outros usuários. Então, um usuário ?Editor? visualiza as postagens que ele cria e também as que os outros usuários criam.

Um usuário do tipo ?Autor? pode gerenciar suas próprias mensagens e publicá-las. Já um ?Colaborador? pode escrevere gerenciar suas próprias mensagens, mas não pode publicá-las. Esta função só pode ser feita por um ?Editor? ou ?Administrador?.

O último tipo de usuário é o ?Assinante?, ele é o mais simples de todos e a única função lhe é permitido fazer é gerenciar o seu próprio perfil.

Vamos testar uma destas funções no usuário que estamos criando, vamos escolher a função ?Colaborador?. Assim você poderá entender a diferença dele para os níveis acima. Ao escolher a função que desejar, clique sobre o botão ?Adicionar Usuário?.

Em seguida, clique sobre o link ?Sair? localizado na lateral direita superior do painel administrativo do WordPress e vamos acessar o painel administrativo do WordPress com o usuário que acabamos de criar.

Basta digitar o usuário que utilizamos no cadastro e sua respectiva senha. Lembrando que este usuário possui uma função ?Colaborador? dentro do WordPress, então, como podemos perceber, as abas laterais são extremamente limitadas. Como você pode verificar, este usuário não terá acesso à seção ?Configurações?, ?Usuários?, ?Aparência?, etc.

Se clicarmos sobre a seção ?Posts? e acessarmos o item ?Posts? vamos poder perceber que há diversos posts cadastrados, mas que não podemos os modificar pois foram criados por outro autor, no meu caso o autor ?admin?.

A função ?Colaborador? é capaz de adicionar novos posts, vamos realizar um teste clicando, dentro da seção ?Posts? sobre o item ?Adicionar Novo?. Ao clicar sobre este item você poderá criar normalmente um novo post, você pode editar a URL amigável do post, modificar a formatação do post, salvar como rascunho mas a única coisa que não é possível fazer é publicar o post diretamente.

No local onde o botão ?Publicar? deveria ser exibido, vocêpoderá verificar o botão ?Enviar Para Revisão?. Escreva um post de teste e clique sobre o botão ?Enviar para Revisão? e depois acesse o item ?Posts? dentro da seção ?Posts? do seu painel administrativo. A partir de agora há uma postagem de teste onde o autor somos nós. Vamos agora liberar este post para ser publicado, vamos clicar sobre o link ?Sair? na lateral direita superior da página e nos conectar com a nossa conta super administrador.

Ao acessar o painel administrativo como ?Super Administrador?, ?Administrador? ou ?Editor? podemos acessar a seção ?Posts?, clicar no item de menu ?Posts? e verificar que existe um post pendente. Assim como existe um link chamado ?Tudo?, ?Publicados? e ?Rascunho? dentro desta página, existe também um link chamado ?Pendente? que irá exibir este post pendente. Clique sobre ele.

Como estou dentro do painel administrativo como um ?Super Administrador?, é possível que eu edite esta postagem pendente. Ao clicar sobre este post para o editar é possível também clicar sobre o botão ?Publicar?, botão este que é localizado na lateral direita da página.

Nos próximos vídeos serão mostradas outras funções para o gerenciamento de usuários, como plugins que aumentam o número de campos durante o cadastro de usuários e funções que permitem a exportação destes dados para outros usos.

1 2